quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Panorama Regional



Precariedade na Caixa
O nível de satisfação com a qualidade do atendimento na agência da Caixa Econômica Federal (CEF) de Santo Antônio da Platina nunca esteve tão baixo. O que antes era atribuido a alguns bancos particulares, parece que foi incorporado pela Caixa. Justiça seja feita: a maioria dos funcionários é atenciosa, atendendo com carinho e eficiência a clientela. O problema se acentua quando a cliente precisa tem de recorrer a encarregados e gerentes.
Tem gerente que simplesmente não atende as ligações. Obter informações por telefone é uma tortura. O gerente geral, que chegou há pouco tempo na agência, é educado, mostra que conhece do ramo, mas é burocrático, só isso. Não faz esforço para agradar, conquistar o cliente. Um robô talvez fosse mais afável.

Atraso
O cliente da Caixa convive com o que existe de mais arcaico em termos de tecnologia e nem os gerentes fazem questão de esconder essa deficiência e falam abertamente que os sistemas operacionais do banco, são do tempo em que a maioria da clientela era composta por dinossauros.

Pouca prática
E eleição para escolha dos membros da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Santo Antônio da Platina demonstra que faltou mais “assessoria” aos que estão chegando agora. Aliás, dos nove integrantes, apenas o vereador Mineiro se reelegeu.

Pouca prática 2
O grupo do prefeito Zezão, maioria com cinco membros, ocupou todos os cargos da Mesa, um desnecessário desperdício já que os cargos fundamentais são a presidência e primeira secretaria. Na hora da escolha dos membros das comissões, percebeu-se a gafe. A oposição emplacou todos os cargos chaves e domina as comissões de Justiça e Redação, Finanças, Obras, e educação. O artífice da manobra foi o experiente Mineiro, que deixa claro não ser oposição ao atual prefeito.

Mordendo a língua
Durante um churrasco de confraternização para comemorar a vitória em Ribeirão Claro, o atual vice-prefeito João Carlos Bonato, ao discursar, criticou o ex-prefeito Maurício Araújo, afirmando que ele estaria entregando a administração com muitos problemas, entre os quais, dívidas de precatórios.

Mordendo a língua 2
Fiz um esforço mental ao ver o vídeo com a fala de Bonato e me lembrei de quando ele entregou a prefeitura ao adversário da época, hoje parceiro, Mário Pereira, que sofreu horrores para colocar em ordem as finanças municipais.

Repercussão negativa
O anúncio de que o segundo vereador mais votado de Santo Antônio da Platina, Everton José Panegada (PMN), vai abrir mão de sua cadeira no Legislativo para ocupar a secretaria de Obras do município surpreendeu negativamente os meios políticos locais. Ele troca um salário de R$970 na câmara pela remuneração de secretário, cerca de R$7 mil, o que não deixa de ser tentador.

Estreia
Com a saída de Panegada, quem assume a cadeira como primeiro suplente é o comerciante Edson Muniz Gonçalves (PHS), mais conhecido por Buchecha.

Ah Coitado!
Alguém mais experiente precisa falar para alguns vereadores de primeira viagem, que a atividade parlamentar tem limites e que esse lance que vão conseguir uma nave espacial para seus municípios está só na cabeça deles.

Judas
O vereador Walter Zacarias Barreto, o popular Cocão (PRB) elegeu no grupo do ex-prefeito Maurício Araújo, mas mesmo antes de assumir tratou de pular a cerca e bandeou-se pros lados do atual prefeito Mário Pereira. Isso lembra Judas, o apóstolo traidor, que trocou Jesus por 30 moedas de ouro!  

Nenhum comentário:

Postar um comentário